LIFE & LOVE

DA SÉRIE “UM DIA MATO O MARIDO” | EP. QUANDO RECUPERAS OS TEUS ÓCULOS PREFERIDOS 2 ANOS DEPOIS

7 Março, 2018

 

 

Ahhhhhhh que saudadonas tinha de destilar aqui, no nosso cantinho à beira-mar plantado, bifes familiares aka problemas decorrentes do facto do maridão ser a pessoa mais esquecida, porém, lindona, à face da terra.

Gostaram do meu moodpassive-agressive“?

 

Eu sei! Eu sei! Quando casei com ele já sabia ao que ia.

Não foi uma surpresa. Não. Não foi com estupefacção que constatei que ele NUNCA iria mudar esta sua idiossincrasia paradigmática de ser apenas a pessoa mais desarrumada e esquecida que o mundo já viu criar.

 

É o meu Karma!

 

 

Eu sei! Eu sei! Eu sei! Aqui que ninguém nos ouve… ele, fora estes dois pequenos grandes pormenores, é só a pessoa mais espectacular do mundo (shiuuuuuu!!! estou a tentar salvar a minha prenda de aniversário), mas eu tenho que destilar para alguma lado as minhas mágoas de pessoa, esposa, conjugue, que está sempre a apanhar com os ricochetes destes traços de personalidade.

 

Não há UM DIA em que não saiamos de casa e que não me veja obrigada a fazer o inquérito do costume:

 

“Tens a carteira? Tens as chaves de casa? Tens as chaves do carro? Tens o cartão da garagem? Tens os óculos? Tens cuecas?… Vocês perceberam!!

 

É este fandango S.E.M.P.R.E!!!!!!!!

 

 

Sinto-me a Maria Von Trapp a passar revista aos seus 10 enteados na Música no Coração. #MENOS

 

É muita pressão para uma mulher só, porque, Deus me livre e guarde, se não elenco todos os bens materiais corro o risco, bem elevado, dele se esquecer mesmo de alguns destes itens preciosos e ainda acabar, já no carro, por ficar com as culpas pelo esquecimento “só porque não perguntei”.

 

Porque já é suposto ele ser esquecido. Percebem!?!??! Então o resto do mundo que se amanhe. #NÃOVEMQUINÃOTEM

 

Porém, quando este esquecimento mundano implica com a tua existência, ou melhor, com o teu espólio fashionista a coisa pia fininho.

 

Ufa!

Agora que já deitei cá pra’fora este contexto, em modo cuspidela-venenosa, quero contar-vos o belo do episódio que me trouxe até aqui.

Nota: podia ser este como podia ser outro qualquer é que… acontecem TANTOS que não vos quero maçar com mais momentos insólitos da nossa vida familiar. Mas qué lós aí, lós ai!

 

Ora bem (estalo de língua), no domingo passado, quando estávamos à espera que as celebridades passeassem as suas fatiotas pela Red Carpet dos Óscares para começarmos o nosso Live no Youtube, o maridão decidiu ausentar-se por poucos minutos, do género (o mais comum) “vou só ali à cá’de´banho” – o que normalmente leva a sua pequena eternidade.

 

Eis quando surge na sala, em caracterização, Piérre, o italiano menos francês da história dos clichés.

Maridão decidiu mascarar-se a rigor para poder botar faladura no Live através do seu alter-ego-comentador-fashion-brega.

 

Para o efeito envergava uns óculos meus espelhados, do mais espampanante que conseguiu encontrar. Roubou a minha boina vermelha-fetiche. E complementou o look com um blaser, seu, que já não vestia desde o euro 2004 (just kidding) a puxar para os vermelhos.

 

M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O

 

Estávamos na palheta, a poucos minutos de entrarmos em directo, quando Piérre, num movimento mais afogueado, esbraceja fortemente em direcção ao peito e sente algo de estranho.

 

“Oi?! Que é isto?”, perguntou em espanto.

 

Nisto lançou a sua manápula ao bolso interior da lapela do casaco e sacou de lá uns óculos.

Mas não foram uns óculos quaisquer…

 

Num silêncio maquiavélico misturado com cara de espanto, Piérre olha para mim e sussurra, com medo da minha expressão (só pode!) – “Acho que encontrei os teus óculos perdidos!“.

 

PAROU TUDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

 

Como assim?! Como assim?! Como assim?!?!

Qualquer dia mato este homem. Estou já a avisar.

 

 

É que este filme dava um Óscar, percebem!?

 

Há mais de dois anos que tinha dado estes óculos como perdidos. Eu amava estes óculos, eram os meus preferidos. Tinham juntado dinheiro e comprado-os com todo o carinho. Eram o meu ai Jesus.

 

Um dia, depois do mesmo individuo-que-mora-lá-em-casa ter colocado os seus óculos de sol (que eu ofereci nos anos) no bolso das calças que foram para lavar (eu bem vos digo que qualquer dia apareço na sessão do “Crime” do Correio da Manhã) e que se estragaram TODOS, ele desesperado com a claridade que lhe batia no focinho decidiu pedir-me em SOS os meus óculos de sol preferidos!

 

Eu, que sou criatura solidária, disponibilizei o artigo para uso apenas esporádico de exposição ao sol.

Claro que assim que abri a minha perninha e emprestei os óculos nunca mais os vi – LITERALMENTE!

 

Ele apropriou-se dos bichos, fez usufruto e qual gigolo material – usou, abusou e… perdeu!

 

 

Há um dia, que recordo com mágoa (brincadeirinha), que me chegou a casa com aquele seu ar de barata tonta a remexer em todos os cantos da casa, a despejar gavetas como se de o Apocalipse se tratasse e a comunicar-me o óbvio – ELE TINHA PERDIDO OS MEUS ÓCULOS DE SOL!

 

A parva aqui compreendeu, dada a natureza do macho, e resignou-se à sua sorte. Ia ser sempre assim…

 

Comprou uns óculos para ele (ainda por cima) e comprei outros para mim, não uns mesmos, uns mais baratos. Haja paciência e carteira!!! Chiça!

 

No domingo, mais de dois anos volvidos, aquela alminha transvestida-de-fake-francês põe a mão ao bolso e encontra os óculos mais procurados da história dos “Perdidos e Achados”!

 

 

Como assim!??!

Num misto de “Oh no you didn’t!“, com alegria extrema, senti-me inundada por aquela sensação que todos já experimentámos e guardamos no coração: a de vasculharmos uma mala antiga e encontrarmos 5€ perdidos.

 

Oh Joy! Oh Happiness!

 

E é só por isso que esta relação ainda não descambou em divórcio, porque num momento sinto que vou matá-lo, mas num outro, logo a seguir, sinto que só ele me consegue dar estas alegrias eternas.

#LÁDECÁLAGEDESEMÓTIÓN

 

Mas um dia… ai um dia…

 

1

Comments

  1. Carla Sofia Henriques

    7 Março, 2018 at 18:49 Responder

    Marta querida … são quase todos iguais, semelhantes, idênticos … o que lhes queiras chamar … Mas agora, qual mãe dele super protectora a proteger um qualquer dano é que não!!! Deixá-lo esbardalhar-se ao comprido, uma duas, cem vezes … OMG quantas vezes penso para mim mesma que podia ter evitado determinada situação … mas sabes, filhos tenho dois!!! Mas isto de facto só se aprende, quando o teu marido, uma vez pai, à laia de marido querido e pai afectuoso, te começa, ele também, por tudo e por nada a chamar mãe!
    Mas percebo-te tão bem e até tenho medalhas para a troca, mas isso agora não interessa nada!!!
    Se assim são felizes … óptimo!!! Encontrar a harmonia é difícil, uma vez encontrada é para sempre 😉
    Beijos nos vossos corações (teu e dele … que ele merece, o piqueno Johnny Boy!!!)

  2. Ana

    8 Março, 2018 at 17:11 Responder

    *conjuge
    *comprado-os?
    wtf?

Leave a comment

About