TREND

DAVID LETTERMAN DÁ LIÇÃO DE COMO NOS REINVENTARMOS A QUALQUER IDADE

17 Janeiro, 2018

 

Ontem, às 22h15 sentei-me, pela primeira vez desde que cheguei a casa, no sofá preparada para abrir o computador e ver o que me poderia entreter até o sono chegar, numa mesma e repetida rotina de bezerranço diário.

O homem-lá-de-casa estava a fazer um zapping frenético ao meu lado e decidiu ver o que é que estava a bater na Netflix.

 

“Olha, o que é isto?”, exclamou.

“Isto o quê?”, respondi entre murmúrios pouco interessados.

“Isto com o David Letterman e o Barack Obama”, reforçou.

“Oi!??! Com o Barack Obama?!”, o que quer que fosse tinha que ser bom, pensámos.

 

My Next Guest Needs No Introduction With David Latterman” e, de facto, não precisava mesmo de introduções.

Barack Obama como teu primeiro convidado de um novo programa para o Netflix é… XIXI NA CUECA!

É o cheguei, vi e venci na vida depois da minha reforma!

 

“Eu tive um programa por muito tempo e fiquei sem um programa por muito tempo. E não posso expressar como é bom sair da droga da minha casa”. 

 

 

É a frase que abre a sinopse do novo programa e dá o mote para este novo desafio profissional de David aos 70 anos. É preciso ter tomates, energia, um pouco de loucura e vá… já estar farto de estar em casa a aturar a mulher e o filho.

 

Para quem não se lembra, Letterman deixou em 2015 o seu famosérrimo Late Show”… deixou…bom… dizem as más línguas que foi a modos que forçado a deixar, depois de 33 anos a entreter meio mundo, neste mundo.

 

Depois da saída ficou o vazio. O nosso e, agora sabemos, o dele.

 

 

O que iria fazer a seguir? Seguiria os passos do seu mentor e ídolo Carson e retirar-se-ia para sempre do olhar público? Ou faria um comeback totalmente inesperado e diferente?

 

Ganhou a segunda hipótese!

 

“Eis o que aprendi: se te reformaste para poderes passar mais tempo com a tua família, confirma com a tua família primeiro.”, referiu Letterman em resposta ao comunicado de lançamento da Netflix.

 

Foi isso que aconteceu.

Letterman longe de arrumar o microfone, viu na Netflix a plataforma ideal (como tantos outros criadores) para ter liberdade criativa, uma vez que neste serviço de streaming não existem limites de tempo, não há compromissos publicitários, tornando-se no perfeito parque de diversões para muitos realizadores, productores, apresentadores, humoristas e actores.

Quase como que um Youtube mas para os mais cotas, estão a ver?! Oi Netflix, tudo bem?! (piscar de olho!)

 

 

 

O programa que estreou a 12 de Janeiro deste novo ano alicerça-se num formato de seis episódios de 60 minutos onde o apresentador surge em palco perante uma grande plateia de fãs sedentos por saber quem é que lhes calhou na rifa para aquela noite, sendo que o público não sabe quem é que será o entrevistado a quem Letterman, em modo entidade bíblica barbuda (imagem de marca da sua reforma), irá fazer uma longa e profunda entrevista, dentro e fora de estúdio.

 

 

A lista de convidados? Fácil! Todas as pessoas impossíveis de se falar, que um dia sonhámos entrevistar e que têm uma agenda quase impossível de penetrar até 2050. Ok, parece fácil.

 

“Estas são as pessoas que eu admiro”, afirma no trailer.

 

Por favor dêem as boas-vindas ao meu próximo convidado…

BARACK OBAMA!!!!

 

 

É o delírio nas bancadas!

Não só vais ver um dinossauro do entretenimento mundial a fazer o seu comeback-exterminador-bafónico como ele vai entrevistar o presidente mais icónico e rock star dos últimos 200 anos… Obrigada, bom dia!

 

Como é óbvio não vos vou contar o que se passou na entrevista, mas posso revelar que o que vão ver é um profissional do mais alto nível, que apesar da idade e do que a televisão lhe fez, decidiu pegar na sua própria ideia, agarrar numa plataforma jovem e sem amarras ou constrangimentos comerciais e viver a sua verdade.

 

 

Aqui vemos um Letterman mais solto, mais emotivo, mais velho e sábio, que coloca tudo de si em cada pergunta que faz. O registo cómico é light, mas isso não é necessariamente mau, bem pelo contrário. Há uma reinvenção da persona nessa retracção jocosa, para dar lugar ao humanismo de quem estava em casa a reflectir sobre a vida.

 

 

Uma entrevista de dois reformados que longe de estarem retirados da vida pública decidiram reavivar a são missão e aparecer para mudar mentalidades.

 

Vale pelo apresentador; vale pelo entrevistado; vale pelos convidados que se seguem; vale pelo esforço e mérito em regressar ao “activo” depois de lhe terem anunciado um fim; vale por nos mostrar que não há idades nem momentos específicos para nada nesta vida; e vale pela mensagem de um ex-presidente que num programa de 60 minutos é muito mais inspiradora do que todas as palavras proferidas no primeiro ano de mandato Trump.

 

 

O que não deixa de ser assustador.

Como é que passámos de um homem iluminado, sábio, de bom senso, humanista, para um ogre-Trump?

Um mundo é um lugar estranho…

 

E se acharam que o primeiro episódio de “O Próximo Convidado Dispensa Apresentação, Com David Letterman” valeu, fiquem colados ao ecrã porque ainda está para vir:

 

GEORGE CLOONEY

MALALA YOUSAFZAI

HOWARD STERN

JAY-Z

TINA FEY

 

 

0

Leave a comment

About