Site preloader
culture, inspirations

GRAMMYS 2017 | A SHORT CUT VERSION… DO QUE FOI O MAIS IMPORTANTE DA NOITE

13 Fevereiro, 2017

(Imaginem que estou a falar muito, muito, muito rápido)

Ora bem, ontem foram os Grammys, os Óscares da Música. Vocês viram? Estiveram atentos?
Não!?

Então, para quem não sabe de nadica de nada, em versão Short Cut Version, vou dar-vos os principais hight lights da festa. 
Tudo o que precisam de saber sobre a última emissão dos Grammys:

– Bom… se dúvidas existissem James Cordan é simplesmente maravilhoso. Cantou, dançou, fez rir e encantou toda a audiência. Adoro-o de morte e paixão. Acho-o uma coisa de fofo e de talentoso pu’demais. 

– Não vou explanar muito sobre a passadeira vermelha, porque senão ficaríamos aqui até amanhã – eu a escrever e vocês a tentar descodificar tudo aquilo que eu teria para dizer sobre as farpelas das vedatas – como devem calcular quando metemos Grammys + Artistas + Rock’n’Roll = a coisa fica muito periclitante ao nível do bom-gosto e do “aceitável”. São artistas, vá!

– A festa foi da amiga Adele que levou a grafonola dourada para as mais importantes categorias do certame. 

– Tal como nós, também ela ficou completamente chocada com o feito, especialmente porque arrecadou O prémio da noite – “Melhor Álbum” – que no seu discurso de aceitação o”entregou” à Queen aka Beyonce (gravidíssima), alegando que ELA É QUE É a inspiração de toda a gente, de todas as mulheres e dela própria, afirmando que o “Lemonade” é uma obra de arte! PUMBAS!

– Depois para finalizar o pensamento solidário, Adele, diz que partiu  meeeeesmo o Grammy fisicamente (sim, isto aconteceu!). E pronto…a Beyonce chorou. #SAOASHORMONAS #ADELEMAISLINDA.

– Eu dou de barato a melhor canção para o “Hello”, que foi, de facto, um fenómeno. A ajudar à festa, a Queen B colocou-se num pedestal de “artistry” e o “Formation” acabou por não ser tão comercial, não passar nas rádios, não se comparando, nem de perto nem de longe, à injecção de “Hello”‘s que levámos em 2016. Hello #JÁNINGUÉMAGUENTAVA. 

– Enfim…é assim que a coisa funciona. Mas… aqui que ninguém nos ouve… “Melhor álbum”?! Mergulharam um pouco na maionese dos tímpanos. 

Adiante… 

– Performances: a Adele cantou o dito “Hello”, nada a assinalar. Contudo, todavia, portanto esbardalhou a pintura toda numa performance que está hoje na boca do povo. Encabeçou a  merecida homenagem a George Michael. (A)Mandou-se para o “Fast Love” e logo rapidinho se percebeu que a senhor não estava nada capaz. No inicio da música, alto cenário, alto momento cénico e de memória e a senhora entra fora de tom,(som de scratch no vinil). Logo grita um “Desculpem Migos! We have to do it again”. E… começou de novo… SEM P.A.L.A.V.R.A.S!!!!!! Tugas! Surreal!

– A Gaga-esGAçou completamente na canção que emparelhou com os Metálica. Foi BRUTAL, apesar dos problemas técnicos que tiveram #COITADOS. Rocalhada super barulhenta como se quer. Munto leather. Muita corrente. Muito fuego. Mais uma vez, a mulher quis atirar-se para o público. Está louca! Terminou em crowed surfing de tudo-de-bom. Depois da famigerada lesão que a tirou dos palcos, a mulher voltou em forma. Bendita fisioterapia. Clap, clap, clap!

– O Bruno Mars fez um Tributo ao Prince simplesmente “TO DIE”. Ele arrasou por completo tudo e todos. Foi bom demais! Já disse que amava ir ver Bruno Mars ao Meo Arena? Não!? QUERO MUITO!!! Hello??!?! Alguém aí desse lado?!?! 

– Katie Perry estava estranha… em todos os aspectos possíveis. Fez uma red carpet estranhissima, num look prateado-em-ácidos. Sem explicações.  E a performance dela não me convenceu minimamente. Não sei o que se está ali a passar. 

– E o prémio de performance da noite foi para… (rufos) Beyonce, que estava a deixar toda a gente em nervos só a pensar no que ela poderia fazer, dada a condição actual. Pois bem, a rainha chegou, cantou, viu e venceu, na sua modinha buésda-conceptual em clara hómage à “Gold Mãe Natureza” para brindar em grande à Deusa da Fertilidade e à sua dupla gravidez. LACROU!

– Em termos de contagens: temos 5 para a Adele; 2 para a Queen; e …Rihanna e Kanye completamente derrotados. Nada de anda. Autch! O Bowie levou 3 ou 4 prémios em versão póstuma. A Solange (irmã da Beyonce) ganhou com “Melhor Música R&B”!!!

– Paralelamente à música, a Nike aproveitou a oportunidade e lançou uma nova campanha e esta não poderia ser mais actual, pertinente e provocante. Um dos melhores momentos da noite, sem dúvida:

0

Leave a comment

About