COOLÓMETRO, LIFE & LOVE

O MEU OLHAR DE CRIANÇA NA WONDERLAND LISBOA | HÁ SURPRESA NO FINAL DO POST!

11 Dezembro, 2017

Vivo o infortúnio, ou não, de ser a irmã mais nova, desse facto decorreram coisas boas, como ter começado a sair à noite com catorze anos (ai, aiiiii! que maluquice!); ter herdado os apontamentos de biologia da minha irmã super organizada; ter começado a falar sobre temas que eram demasiado complexos para a minha idade; ter começado a conduzir logo aos dezoito anos; e sentir que se acontecesse alguma coisa a minha irmã era a primeira a defender-me (sabe-se lá porquê!).

Contudo, o karma etário fez das suas e contrapondo todas as benesses que uma irmã mais nova herda, lançou as agruras de se ser SEMPRE a mais nova do grupo. Resumindo, para além de ter sempre a culpa de todo o mal do universo e do outro; de ser sempre a culpada de cada vez que desapareciam os sapatinhos da Barbie; e de nunca ter razão numa discussão familiar, só porque sim; também nunca me foi permitido acreditar no Pai Natal.

Desculpem pessoas que ainda acreditam que um “Sr. Barbudo” vindo da Lapónia se põe a caminho, montado nas suas renas cintilantes, toda a madrugada de 24 de Dezembro para distribuir à lagardère presentes a todos os meninos e meninas deste mundo, mas… a dura e cruel verdade é que (em sussurros) ele não existe! E a mim nem sequer me foi permitido acreditar. NOP!

A minha querida, porém sádica, irmã mais velha achou por bem cortar pela raiz toda e qualquer réstia de magia que o Natal pudesse ter e contar-me, desde que me conheço como gente, que afinal o “Sr. Barbudo” e simpático que explora renas não era mais do que uma fantasia. E que eram final os pais e avós que compravam as prendas todas que apareciam lá em casa.

(Silêncio)

Lá se foi a minha querida inocência, paz à sua alma!

E com ela todas as crenças associadas, deixando-me o Natal circunscrito a pequenos apontamentos que deram origem a grandes memórias de infância.

Sem Pai Natal, o tempo do advento ficou marcado pela maratona religiosa de feitura massiva de filhós em casa dos meus pais, deixando um rasto de cheiro de fritura que durava pelo menos uma semana; ficou marcado pelas inúmeras tentativas e técnicas quase militares de descobrir os presentes e depois de os abrir sem deixar rastos; ficou marcada pelos ajuntamentos familiares que juntavam os primos todos na mítica “mesa das crianças” (era a mais divertida!); e ficou marcado pela ida ao mercado de Natal organizado pelo trabalho da minha mãe.

Este último era O acontecimento de Natal!

Todos os anos era diferente, mas todos os anos sabíamos que era a diversão total. Desde carrosséis, comidas deliciosas, divertimentos, a feira de natal da minha infância era a animação, que culminou com um dos momentos mais espectaculares que uma criança pode ter na sua infância – a sua irmã mais velha ganhou (raio da moça que tem sempre sorte ao jogo!) a montra TODA de prémios da feira mais badalada da cidade.

Sim, isto aconteceu, e foi ÉPICO!!!! Esse Natal ficou para sempre na nossa memória.

Já sem idade para participar na feira, confesso, o Natal não voltou a ser a mesma coisa. Havia uma mística, uma tradição que se perdeu.

 

Desde então que tento sempre recriar, em sua ausência, mecanismos que me transportem para esse momento da minha infância. Quer seja em experiências ou eventos, a magia tem que estar lá. E desde há dois anos para cá que a paragem obrigatória é no Wonderland Lisboa. A feira de Natal por excelência da capital traz-me essa memória.

As cores, as luzes, os cheiros, os olhares das crianças, o excitamento de se viver uma época que se quer eternizar para sempre.

 

Gosto de lá ir resgatar esses sentimentos, mas também viver a época. Tornar-me criança novamente e criar um novo olhar sobre a quadra.

Um renovado olhar que tentei transportar para estas imagens, para este momento…

Sem montra de prémios para vos entregar, ou irmã-mais-velha-sortuda para rifar, a mística deste Natal levou-me ao Parque Eduardo VII, à Wonderland Lisboa para um desafio imperdível! Mostrar a minha experiência no Wonderland através de um novo olhar, através das lentes, através do novo Huawei.

Mas não sou só eu a ter esta oportunidade. Nãooooo! Que eu não sou pessoa de guardar as melhores coisas da vida só para mim!

Vocês estão também convidados a participar neste grande concurso natalício. Basta para isso que tirem a vossa melhor fotografia do Wonderland para se habilitarem a ganhar um Huawei Mate10 Pro que é como quem diz, a melhor coisinha que vocês vão ver e ter este ano.

Como partilhei no Canal sobre a minha experiência no Wonderland, este Huawei entrou directamente para a minha lista do “Coolómetro de Favoritos de 2017“, como um dos aparelhos tecnológicos que mais me surpreendeu neste ano que passou.

Desde a Inteligência Artificial utilizada neste smartphone que entende os comportamentos dos utilizadores, até à bateria que dura um dia inteiro com apenas 30 minutos de carregamentos, passando pela possibilidade de tirar fotografias inteligentes, numa combinação perfeita de hardwaredesign elegante, isto aliado ao facto de ser o primeiro smartphone do mundo com uma dupla câmara Leica com abertura f/1.6 que nos ajuda a tirar fotografias perfeitas, a selfie perfeita, claras e nítidas mesmo em condições menos propícias à fotografia, como foi o meu caso em que a maior parte das fotografias que tirei foram à noite, em baixa luz.

Em resumo, este pequeno aparelho é só incrível e perfeito para quem tem um ritmo de vida super activo, que trabalha e depende do telemóvel para a maior parte das actividades do seu dia-a-dia e que utiliza a câmara para fotografia e filmes como se de ar se tratasse. Como… EU! Aliás, como se pode ver por todas as imagens aqui partilhadas!!!!!!

Agora, aquilo que interessa.

Como é que vocês podem participar?

Excelente pergunta!

É fácil! Fácil!!!

convite é feito a toda e qualquer pessoa que visite o Wonderland em Lisboa entre os dias 1 e 25 de Dezembro de 2017, com residência legal em Portugal Continental e Ilhas, maiores de 18 anos.

Até aqui tudo bem?

Então, depois é só:

a) Tirar uma fotografia no evento Wonderland;

b) Partilhar a fotografia tirada no vosso Instagram com o #momentohuawei #inteligenciaartificial #huaweimate10pro;

c) Fazer um Like na página da Huawei Mobile PT no Instagram;

d) Fazer um Like na página da Huawei Portugal do Facebook.

Fiquem sabendo que o prémio será atribuído à fotografia mais criativa e com mais gostos tirada no evento da Wonderland, carregada nos perfis pessoais públicos da rede social Instagram com os hastags que já identifiquei em cima, e ganhará… estão preparados?!!?!??

Um smartphone Huawei Mate 10 Pro no valor de PVP 879€!!!!!!!!!!!

De recordar, para as duas pessoas neste país que ainda não sabem, que o Wonderland Lisboa fica no Parque Eduardo VII e tem o seguinte horário:

Dia 1 de Dezembro de 2017 a 1 de Janeiro de 2018

Segunda a quinta: 14h-22h | Sexta: 14h-24h

Sábados e feriados: 10h-24h | Domingo: 10h-22h

Excepto:

Dias 24 e 31: das 10h às 16h

Dias 25 e 01: das 16h às 22h

 

Et moi?!? Não posso MESMO participar??!??!?!??!

Não percam esta oportunidade 🙂

Será um presente de Natal memorável.

Será a vossa (minha!) montra de prémios!!!

Concorram!

Nunca se sabe qual será o vosso Natal de sorte.

(*) Menção Honrosa: Todas as fotografias foram tiradas com o Huawei Mate 10 Pro mas a mão e magia é da minha talentosa Mariana que podem encontrar sempre aqui <3

Vão lá fazer-lhe uma visita, porque uma sessão fotográficas com os vossos mais pequeninos da família dá um excelente presente de Natal!! Não digam que não vos avisei!!

1

Leave a comment

About