COMPORTAMENTO

APPLE, FACEBOOK, AMAZON e GOOGLE RECUSAM ASSINAR CARTA PARA O CONTROLO DE ARMAS

17 Setembro, 2019

 

“As leaders of some of America’s most respected companies and those with significant business interests in the United States, we are writing to you because we have a responsibility and obligation to stand up for the safety of our employees, customers and all Americans in the communities we serve across the country (…)”. 

Foi com este sentido de responsabilidade que 145 CEO’s das maiores empresas dos Estados Unidos da América, entre os quais Jack Dorsey CEO do Twitter e Dara Khosrowshahi da UBER,  endereçaram uma carta ao Senado para, de forma urgente, agir na criação de leis “de senso comum”, que ajudem num maior controlo de armas no país.

A missiva, que recolheu assinaturas de várias empresas como a Levi Strauss e a Gap, surge no rescaldo dos massacres de El Paso, West Texas, e de Dayton, Ohio. Porém, na recolha de consensos sobre a temática, houve ausências muito notadas: Apple, Google, Facebook, Microsoft e Amazon.

Interessante…

Os assinantes, porém, reforçam o que escreveram na carta: a violência perpetrada pelo uso indevido de armas de fogo nos EUA não é “inevitável“, como muitos líderes políticos querem fazer passar. Sim, estou a falar de Trump e da sua prol, que a cada tiroteio em massa, “disparam”, literalmente, para o lado, fingem que não podem fazer nada e que “tudo” o que se vive é fruto da demência, saúde mental dos atiradores, coitados, produto da cultura de mass media e de videojogos que se vive.

Pois, lamento, mas… não é!

A desresponsabilização que o governo americano tem relativamente a esta matéria é absurda, é criminosa.

E não falo só sobre as posições das administrações republicanas. Não! Quer as democratas como as mais à direita nunca fizeram efectivamente NADA de, radicalmente, profilático em relação a esta matéria.

Porquê? Porque há muitos interesses à mistura, muita gente a encher os seus bolsos à conta do negócio das armas. Mas a que custo? Vidas inocentes todos os dias? Sim, vidas inocentes todos os dias. Depois, quando existem estes massacres, coitadinhos, eram todos maluquinhos da cabeça. Claro!

Não consigo compreender isto e, aparentemente, o povo americano também já não consegue viver com este fechar de olhos. Alguma coisa tem de ser feita e esta carta, acolhida por muitos dos grandes CEO’s do país, que se posiciona como apolítica, como afirmam no documento (está no final do artigo na íntegra), parecia-me um primeiro passo a dar na direção certa.

Só que há sempre um MAS. Há sempre quem não se queira comprometer. Quem queira ser o “hamtidamti” da diplomacia, nunca tomando posição que em nada possam melindrar os seus relacionamentos políticos, os seus consumidores e, no limite, que comprometa as vendas e o lucro.

De acordo com um artigo no The New York Times, os executivos da Google e do Facebook debateram se deveriam ou não integrar o grupo de assinantes da carta, porém declinaram o convite.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, alegadamente afirmou que “este tipo de activismo, sobre este assunto, só iria trazer mais atenção para a sua empresa” e com a mesma “desculpa” a Google seguiu-lhe o exemplo.

No caso da Apple, apesar do CEO da empresa, Tim Cook, já se ter manifestado publicamente sobre a legislação do controlo de armas, ele acabou por não assinar o documento. Chutando para canto:

Também a Amazon e a Microsoft não quiseram participar na petição.

Segundo o mesmo artigo do The New York Times, alguns desses executivos não assinaram a carta, porque defendem que “ao tomar este tipo de posição podiam contribuir para confrontos dentro das suas lojas, com clientes que possuíssem armas”.

PAROU TUDO! A loucura neste mundo vai a este ponto.

Portanto, deixa-me ver se eu entendi: o problema não é os clientes terem, indiscriminadamente, armas de fogo altamente perigosas sem terem um motivo para tal, o problema é eles poderem zangar-se com as empresas que se manifestem a favor de um mais apertado controlo de armas.

Tá certo. Tudo bem nesta forma de pensar…

Especificamente, o texto da carta pressiona o Senado a aprovar legislação, “para exigir verificações de antecedentes em todas as vendas de armas e uma forte lei de “red flag”, que permitiria que os tribunais emitissem ordens de proteção extrema contra riscos para salvar vidas”. Além disso, enquadra a carta em torno dos interesses comerciais das empresas que assinaram.

Parece-me inócuo, necessário e sem grandes consequências ou posicionamentos políticos.

Mas o medo… ai o medo de chatear certas e determinadas pessoas, esta falta de envolvimento e de convicção faz com que episódios destes acontecem: quando o comercial se sobrepõe ao mais importante de tudo, que é a proteção da vida humana.

Não acho isto normal.

E este problema é GRAVÍSSIMO nos Estados Unidos da América.

Podem ler a carta na íntegra em baixo:

Dear Members of the Senate:

Our hearts are with the victims, their families and loved ones and all those affected by the tragic shootings in El Paso and West Texas, and Dayton, Ohio. These families became members of a club that no one wants to join: the millions of Americans whose lives have been forever altered by gun violence.

Every day, 100 Americans are shot and killed and hundreds more are wounded. These are more than mass shootings; in recent weeks, gun violence has devastated Chicago, Canoga Park, Newport News, Gilroy and Brooklyn, among others. This is a public health crisis that demands urgent action.

As leaders of some of America’s most respected companies and those with significant business interests in the United States, we are writing to you because we have a responsibility and obligation to stand up for the safety of our employees, customers and all Americans in the communities we serve across the country. Doing nothing about America’s gun violence crisis is simply unacceptable and it is time to stand with the American public on gun safety.

Gun violence in America is not inevitable; it’s preventable. There are steps Congress can, and must, take to prevent and reduce gun violence. We need our lawmakers to support common sense gun laws that could prevent tragedies like these.

That’s why we urge the Senate to stand with the American public and take action on gun safety by passing a bill to require background checks on all gun sales and a strong Red Flag law that would allow courts to issue life-saving extreme risk protection orders.

Background checks and Extreme Risk laws (also referred to as “Red Flag laws”) are proven to save lives. Since Congress established the background check system 25 years ago, background checks have blocked more than 3.5 million gun sales to prohibited purchasers, including to convicted felons, domestic abusers, and people who have been involuntarily committed.

However, in the decades since, the law requiring background checks on gun sales has not been updated to reflect how people buy guns today. The Senate must follow the House’s lead by passing bipartisan legislation that would update the background checks law, helping to keep guns out of the hands of people who shouldn’t have them, in an effort to save lives. Background checks on all gun sales are a common-sense solution with overwhelming public support and are a critical step toward stemming the gun violence epidemic in this country .

Perpetrators of mass shootings, school shootings, and hate crimes often display warning signs before committing violent acts. Additionally, people who end their life with a gun also often show signs that they are in crisis before they act. Interventions in states with Extreme Risk laws have already prevented potential tragedies. Expanding Extreme Risk laws to enable families and law enforcement nationwide to intervene when someone is at serious risk of hurting themselves or others is critical to preventing future tragedies.

These proposals are common-sense, bipartisan and widely supported by the American public. It is time for the Senate to take action.

Como os próprios indicam, esta questão é um “no brainer” e só quem não quer ver (por questões pessoais e económicas) o que está a acontecer é que pode continuar a assobiar para o lado, enquanto inocentes são mortos todos os dias em terreno americano.

0

Leave a comment

About