culture, YOUTUBE

NO GATILHO DA FOFOQUICE | BEYONCÉ Levou com os Palitos, e Agora o Mundo Quer Saber COM QUEM?!?!?!

26 Abril, 2016

Se achavam que estavam a atirar limões a Beyoncé, ela é que fez a limonada toda neste sábado passado, quando mandou a Internet abaixo e monopolizou as audiências na HBO, que passou à hora certa o seu novo visual álbum – Lemonade – , mais um que vai ficar para a história da música e para a memória de como a Queen é realmente G.E.N.I.A.L. 

Digam o que disserem, falem o que falarem, gostem ou não gostem, não há ninguém que esteja no patamar em que ela se encontra neste momento. Tenho dito. 

Lemonade está noutro nível. 

Bom (estalo de língua), para quem não viu nada de nada deste novo mega projecto da Bey – SHAME ON YOU! – ele apresenta-se pu’demais conceptual, com uma tónica muito marcada nos 5 estágios da dor, ou não tivessem existido aqueles separadores no filme que indiciam a passagem humana pelas fases de “Negação”; “Raiva”; “Negociação”; “Depressão” e “Aceitação”. 

De acordo com um artigo saído esta segunda feira no Público, esta é uma obra que traça uma história de adultério, decepção, zanga e reconciliação, personificado numa história individual (a de Beyonce?) como a das mulheres negras nos Estados Unidos.

O filme está estruturado a partir de excertos de poemas de Warsan Shire, interpretados por Beyoncé, criando um ambiente etéreo e sulista, mas também simbólico e incendiário, que remete para o dualismo amor e ódio, uma quase-obra assinada, sem o ser, por Terrence Malick. 
É visual. É audível. É visceral. 

Spoiler Alert:

Segundo o artigo, tudo começa com Beyoncé a questionar a sua relação. “Are you cheating on me?”. Quando a infidelidade se torna evidente, protesta: “They don’t love you like i love you”, canta em Hold up, num refrão que remete para a canção Maps dos Yeah Yeah Yeahs, seguindo-se a zanga: “i’m gonna fuck me up a bitch”, canta, de taco de basebol na mão, vestido Roberto Cavalli, descarregando a fúria em tudo o que lhe aparece à frente. Mais tarde afirma: “You ain’t married to an average bitch, boy!”, avisa. Enquanto em Don’t hurt yourself, com Jack White, canta de forma distorcida, como a própria música: “This is your final warning / you know i give you life / If you try this shit again / You gon lose your wife.” 

E é aqui que começa toda a indagação. Será que é Beyoncé a protagonista da obra? Será “Lemonade” auto-biográfico? Jay-Z portou-se mal?! E fica-nos na memória o mediatizado episódio da chapada da irmã de Bey a Jay Z, captado pela câmara do famoso elevador. Será que foi por causa disto?  

Mas depois existe “Daddy lessons”, que marca uma viragem na obra, com um som pop a preparar o ouvinte para uma segunda parte marcada pelo perdão, pela recuperação e pela esperança.   

A ficha técnica deste visual álbum, co-realizado por Beyonce, faz inveja a muitos filmes de Hollywood, com participações especiais da mão de Beyoncé, do marido Jay-Z, e da filha de ambos, Blue Ivy. O mesmo acontecendo com a avó de Jay-Z. É dela a frase que dá origem ao título da obra: “I was given lemons and I made lemonade.”. POW!

Lemonade é autoral. E por deter esse cunho visual singular é que a sua interpretação toma contornos tão pessoais. A realidade da peça foi real? O tom pelo menos padece de testemunho. Foi isso que fez o mundo pensar e questionar – Jay Z foi infiel?! 

O que nos leva à segunda questão: Quem é que põe os palitos a Beyoncé? À Queen?! Quem ousa?

O que nos remete para a terceira pergunta, a que todos querem agora saber: COM QUEM?!?!?!?!?!?!?!

Esqueçam Lemonade. Esqueçam a obra-prima. Esqueçam o legado. 
Com quem é que Jay Z pôs os palitos a Beyoncé?! 

Claro que os tablóides estão loucos para saber esta resposta, especialmente quando o casal Knowles-Carter sempre foi tão discreto. Só que essa privacidade aguça o apetite de quem está à espera de sangue nas manchetes. 

Só que há uma pista encriptada. Uuuuuhhhhhhhhhhh (som de suspense)! Na faixa “Sorry” ela fala de uma tal “Becky with the good hair”, que alegadamente foi a prevaricadora de serviço. 

Como devem calcular muitas já foram as suposições para esta “Becky”, assumida inicialmente por ser Rachel Roy, estilista, que postou uma fotografia no Instagram com uma legenda muito suspeita, que a implicaria no caso. 

O grupo de fãs da Queen, Beyhive, atacou em massa, com ferrões dirigidos à estilista, inundando todas as redes sociais de Rachel com limões e símbolos emoji de abelhas, repreendendo-a por se atravessar no caminho da RAINHA. 

O ataque foi de tal forma intenso que a estilista, passadas algumas horas, viu-se forçada a fechar a sua conta de Instagram. 

Contudo, todavia, portanto temos outra personagem na área…

Na segunda-feira, Rita Ora (sim leram bem) postou uma selfie no Snapchat vestindo uma parte de cima de um biquíni com aplique de limão e um colar com a letra “J”. Será que foi um ataque? Uma confissão? Uma provocação? Ou apenas mais um tronco para esta fogueira do mistério da infidelidade? 

É impossível neste momento fazer previsões sobre este Cluedo-de-Celebridades. Uma coisa é certa, Rita Ora já está a levar com os limões, que os fãs da Queen não perdoam, mas SERÁ QUE ELA FEZ LIMONADA?!

Aqui, no The Coolunista, vamos continuar a acompanhar este caso. 

Fiquem connosco! 

0

Leave a comment

About