FOFOQUICE, WTF

OS MELHORES MEMES DO MET GALA 2018

9 Maio, 2018

 

Então vocês achavam mesmo que eu não ia fazer um comentáriozinho ao MET CARNES (piada para o peeps setubalense que privava com um talho homólogo) que este ano, sob o tema da religiosidade e do catolicismo, teve tanta, mas tanta, carninha do lombo para comentar…

 

O problema foi mesmo esse, o que comentar!

Como sabem o Met Gala é o momento Red “Carpete” mais conceptual da industria de entretenimento do mundo. Pensem comigo, o que vos ocorre quando juntamos no caldeirão do devaneio os seguintes ingredientes: Celebridades + Manias de Originalidade + Egos + Vestidos + Caudas + Drama + Fantasias + Sem limite de dinheiro = BAILE-DE-MÁSCARAS-TEMÁTICO-DOS-RICOS-E-FAMOSOS

E é o que acontece todos os anos. A Vogue, na pessoa de Anna Winter como curadora-master de temas, lança anualmente o mote que orientar a escolha das farpelas dos VIPs e que sets the mood para a decoração e animação do evento.

 

Desde homenagens a estilistas, passando por correntes artísticas, ou até mesmo por lutas sociais, os temas do Met (Carnes) já viram de tudo e, infelizmente (ou felizmente) nós também!

 

Este ano o tema foi “Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination” e só pelo conceito eu já adivinhava rosários por muita alminha que por ali passou. Se foram para o céu ou para o inferno não sei, mas que foram para o limbo do mau-gosto, ai, isso foram de certeza.

 

É que por onde os meus olhos batiam só vislumbrava coisas completamente despropositadas.

Eu sei! Eu sei! Aquilo é um Baile muitoooooo conceptual, é a oportunidade das celebridades-bombadas poderem fazer o seu próprio Carnaval consentido sem terem que se despir na Sapucaí e erguer com orgulho um tapa-sexo (se bem que às vezes…). É mesmo para uma pessoa extravasar, desopilar a personagem que há em cada um de nós, seja lá o que isso significar.

 

Dada a sobre-exposição visual de gosto duvidoso, seria quase humanamente impossível estar a comentar TODOS os looks desta noite, até porque a secção dos “Miga, é que nem saias do carro vai já para casa tirar a maquilhagem com toalhitas” ia demorar para lá de três semanas a construir.

Mas houve de um tudo: chapéus papais, espanadores religiosos, cálices, véus e fumo branco.

 

Ora bem, se aquilo é para o reguebofe e para não nos levarmos a sério, então joga no “meme” para fazermos uma passagem pelo mais extravagante e hilariante que botou pé nesta carpete de freak-show-abençoado.

 

Agora rezem comigo:

“Pai Nosso que deixaste de estar no céu quando viste isto…”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0

Leave a comment

About